quinta-feira, 29 de março de 2012

Como lidar com o gênio forte dos filhos? Parte 1.

Acho que todos já ouviram algo do tipo “você é uma caixinha de surpresa” e realmente todos nós temos algo guardado dentro de nossa personalidade que espera o momento certo para se mostrar. Por exemplo: um dom (cozinhar,pintar,falar),uma personalidade, uma atitude , enfim temos sempre algo para mostrar.

Quando viramos mãe é normal você se perguntar como vai ser a personalidade do seu filho e até mesmo arriscar falar que é assim ou assado, tomando por base alguns comportamentos quando bebê. Bruna a cada dia traz uma surpresa diferente, pois ela se mostrar sempre disponível a descobrir coisas novas, é também muito legal ver suas reações.

Quando criança minha gatinha sempre foi muito tranquila, teve poucas cólicas, os dentes nunca foram motivo para grande mudança de comportamento, as vacinas poucas vezes causaram reações, e a introdução as papinhas e sucos não deram trabalho, exceto no inicio.

Sempre fiz tudo dentro de casa porque ela gosta de brincar sozinha ou assistir a Tv, então sempre foi tudo muito tranquilo, tudo se encaixava bem.

Mas as fases de desenvolvimento da criança acontece muito rápido e quando você menos espera tudo muda e a “caixinha de surpresa” se revela . Ai chega hora de colocar alguns limites e começar a criar minha gatinha para o mundo. É complicado isso porque eles não tem manual de instruções então você acaba tomando por base a sua criação e a leitura do que você sabe que é certo ou errado e vai” tatiano” como lidar com as circunstâncias.

Quando Bruna começou andar o mundo ficou pequeno para ela e tudo virou uma novidade, é um mexe dali, sobe aqui, e eu sempre falando não, não... E sempre ela fazendo o que não podia. Ai resolvi então mudar atitude e ser mais firme ficando ao nível dela, olhos nos olhos e falo firme “não pode não. Mamãe esta falando” ai ela olha tenta novamente eu repito o gesto e ai ela chora, olha e para de fazer.


Tudo isso divagar sem reprimir, sem gritar só mostrando o que pode ou não fazer. Só que não é fácil, agora mesmo quando passamos pelo parquinho aqui do prédio onde moramos, ela chora e se contorce querendo descer para ir lá à hora que for. Um outro dia nos fomos a uma loja comprar uma maquina de lavar e ela corria de um lado para outro do estabelecimento parando apenas quando viu um quarto infantil cheio de brinquedos. Então apontava com o dedinho e conversava em sua língua,mostrando as coisas.

Outro fato ocorreu em um domingo que fomos brincar no parquinho , ela viu seu amigo Vitor e rapidinho pegou a bolinha dele e saiu correndo , não querendo devolver a bola ,mesmo eu falando “dê mamãe” ela nada. Vitinho super tranquilho parecia que não queria nem a bola mais mesmo assim percebi que precisava trabalhar o desapego com ela, mesmo sabendo que é novinha , é uma fase comum, mais fiquei bastante preocupada com essa atitude e ate questionando as minhas atitudes como mãe se não estaria mimando ela (coisa de mãe).

Então falei para Junior sempre pedir algo a ela para trabalhar o desapego e graças a Deus estar dando o resultado pois ela agora compartilha as coisas na hora de brincar com outras crianças, mais ainda está com gênio forte .

Eu comecei a observar o comportamento das amiguinha de Bruna , que é muito parecido em relação ao apego com os brinquedos ,a birra quando quer algo, umas com menos intensidade outras com mais. Concluir que o diferente é realmente a maneira de conduzir a situação.

Então essa primeira parte do post, vou pedir conselhos rsrsrsr... Para quem passou ou esta passando essa fase, eu vou ler e pesquisar uma base a ser seguida já que ,cada um é de um jeito, e volto com o assunto.

Vou encerrar com uma frase perfeita ”Educai As Criancas E Nao Sera Preciso Punir Os Adultos" onde li não tinha o autor mais diz tudo.

14 comentários:

Sabrina Nery Luz disse...

Adorei o texto e acho que vc está certinha! É de pequeno que se ensina!
beijos
www.jeitinhos.blogspot.com

Futura mãmã disse...

Adorei a ultima frase rs
De facto as fases deles, eles mudam muitooo!
bj

aprendendoasermae disse...

Pois é tem uma outra frase que diz "É de pequeno que torce o rabo"rsrsrs...obrigada por sua visita que é sempre muito bom.
beijos!

aprendendoasermae disse...

como vai o gatinho?è muito rapido mesmo rsrsr...
Um grande beijo e obrigado por sempre ter um tempinho para um conversinha.
beijos!

BLOGS-PARCEIROS disse...

oi querida seu link já foi adicionado e testado é o número 255.

agradecemos

www.blogs-parceiros.blogspot.com.br

Mamãezinha disse...

Ei! Muito obrigada pela presença na minha casa cibernética. Bem-vinda. Espero nos encontrarmos mais vezes. É bem verdade que educar filho é uma tênue linha entre o permitir e o não permitir, entre o sim e o não. É preciso sabedoria para discernirmos a hora de usar um e outro. O que possibilita esse juízo é o amor verdadeiro que não é egoísta e a paciência entre os erros e acertos. Boa Páscoa! Beijos!

Cida Kuntze disse...

Olá!
Primeiro gostaria de agradecer o seu comentário no meu post lá no Recanto das Mamães Blogueiras, fiquei muito feliz. E agora estou aqui conhecendo o seu blog, muito lindo por sinal e te conhecendo um pouquinho.

Agora falando sobre o teu texto, como lidar com o gênio forte dos filhos...rsrs. Sabe, as fases vem e vão, mas não podemos deixar passar nenhuma sem realmente trabalhar as questões envolvidas. Não sou nenhuma éxpert, mas quando minha filha tinha essa idade também tivemos que trabalhar esse lado com ela, ensinar a dividir. Como vc citou tem crianças naturalmente menos apegada as coisas, mas a grande maioria a princípio não gosta mesmo de dividir. Esperneia quando quer algo, faz birra, etc. Mas nós precisamos repetir e repetir muitas vezes o mesmo processo de ensinar, de mostrar, mesmo que canse, pois dá resultado.

É cansativo, não nego. Mas temos que perseverar em ensinar, pois colheremos ótimos frutos.

Um beijo querida e tudo de bom!

aprendendoasermae disse...

Obrigada!

aprendendoasermae disse...

Falou tudo que eu realmente acredito.Um grande beijo!

aprendendoasermae disse...

Obrigado pela dica.Já percebi que tenho realmente que sempre repetir os mesmo ensinamentos ,mais faz parte da arte de ser mãe.Grande beijo!

Janaína Mascarenhas disse...

É Carol, educar é muito difícil. Mas, mais importante q falar o q é certo ou errado, é dar o exemplo. Tenho me questionado muito qto a isso em relação a Lipe.
Tb acho q muitas vezes nos preocupamos tanto em ensinar os filhos a dividir q esquecemos de dar autonomia p resolverem seus problemas sozinhos c as crianças da mesma idade. Anne, do Super Duper, escreveu um post sobre isso (patrulha no tanque de areia), que é um excelente convite à reflexão. Vale dar uma olhada. Beijoca.

"Maria Heloisa" disse...

Amei a postagem flor...é um pouco dificil de controlar mais temos que sempre se manter firme e mostra o certo em quanto é pequeno.

beijinhos ♥

aprendendoasermae disse...

Sabe Jana ,no primeiro dia fiquei assustada com o comportamento de Bruna,ja em outra oportunidade fiquei apenas observando o comportamento com outra amiguinha e ai notei que ela tenteou pegar o briquedo a coleguinha não quis dá e ai ela não brigou nem chorou apenas se ateve a outra coisa.Fiquei mais traquila.Vou ler o post sim obrigado pela dica.Um beijo!

Mariana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.